Spencer Brewery lança a primeira Imperial Stout Trapista

Isso mesmo, você leu correto: a cervejaria da Spencer’s Saint Joseph’s Abbey iniciou 2016 provavelmente com a novidade mais quente do ano até o momento: uma Imperial Stout com selo Trapista! Para quem não conhece, a Saint Joseph’s Abbey, de Massachusetts, foi a primeira abadia trapista fora da Europa a receber permissão de produzir e comercializar cervejas com o selo Trapista, saiba mais aqui: Spencer: a primeira cervejaria trapista das Américas. Desde que a fábrica foi aberta em 2013 a abadia produziu somente três rótulos: a Spencer Trappist Ale, uma Belgian Pale Ale que é o carro chefe da cervejaria, a Spencer Trappist Holiday, uma Belgian Strong Dark Ale sazonal e a Keri’s Ale, a Paterbier da abadia, que seria a cerveja produzida para o consumo interno dos monges e, dependendo de cada abadia, é possível degustá-la no monatério.

spencer stout

Ano passado o padre Isaac Keeley, responsável pela cervejaria, iniciou um projeto de expansão da cervejaria para atender a demanda do mercado e, ao mesmo tempo, poder produzir novas receitas. Daí surgiu a Spencer Trappist Imperial Stout, uma Russian Imperial Stout com selo Trapista! É uma escura de 9,3% ABV, envasada em garrafas de 750 ml. Podemos esperar uma cerveja com sabores bem intensos de café e chocolate, mas como essa notícia tá bem nova não encontramos nenhuma análise da cerveja na internet até o momento.

Agora algumas pessoas devem estar pensando “Pera aí, isso tá errado! No BJCP 2015 tem dizendo que Trapist Ale é uma coisa e Imperial Stout é outra!”. Pois é, vamos refletir juntos… Primeiro de tudo: Trapista não é um estilo, é um selo, uma denominação. Funciona da mesma forma que o vinho do Porto, um vinho só pode ser chamado de vinho do Porto se ele for produzido com uvas da região do Rio Douro e obedecer certas características de produção e sabor. Para uma cerveja ser considerada Trapista, ela deve ser obrigatoriamente produzida por uma cervejaria supervisionada por um monatério da Ordem Trapista e todo o dinheiro da venda dessas cervejas devem ser obrigatoriamente usados para a manutenção do monastério e fins sociais, sem produzir lucro. Ou seja, qualquer cerveja produzida por uma cervejaria Trapista será uma cerveja Trapista, independente do estilo. Já comentamos aqui e nas redes sociais de algumas falhas que o BJCP 2015 trouxe e que tá gerando muita polêmica na comunidade cervejeira, talvez o pior deles foi essa denominação errada de Dubbel, Tripel e Quadrupel (Dark Strong Ale) serem cervejas trapistas…

Mas voltando à Spencer, tudo indica até o momento que a Trappist Imperial Stout será uma cerveja brassagem única, só com o tempo saberemos se a receita terá uma rotatividade nas tinas de mostura da Saint Joseph’s Abbey. Mas uma coisa podemos ter certeza, a Spencer Brewery veio com gosto de gás e pretende experimentar receitas novas na comunidade Trapista. Não duvido nada que já já apareça por aí uma Spencer IPA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *