Cerveja é mais eficaz que psicoterapia?

Uma cerveja antes do almoço é muito bom pra ficar pensando melhor.” – é com essa máxima do saudoso Chico Science que começamos este post. (no melhor estilo Marília Gabriela)

A ocasião é que um dos mais poderosos agentes de saúde da Alemanha causou furor ao declarar acreditar que alguns problemas psicológicos poderiam ser tratados com uma bela cerveja tão bem quanto com sessões de terapia.

O responsável pela confusão é Josef Hecken, presidente do Comitê Conjunto Federal (GBA, em sigla alemã) – órgão que decide quais tratamentos são oferecidos pelo sistema público de saúde da Alemnha.

Hecken disse que não achava necessário sessões de terapia a cada segundo, quando algumas vezes abrir uma cerveja faria muito bem o trabalho. O comentário foi feito durante um debate sobre a convocação de mais psicoterapeutas para o sistema de saúde pública alemão e o dito está registrado em ata oficial da reunião, segundo o jornal Tagesspiegel.

Obviamente, toda a comunidade de psicoterapeuta se indignou e logo Hacken teve que se retratar. Disse que foi infeliz no comentário, mas que também fora mal interpretado e que não era sua intenção fazer pouco das doenças psiquiátricas ou aconselhar o uso de bebidas alcoólicas como alternativa eficaz de tratamento psicoterápico. “Não acredito que todo transtorno, como insônia, por exemplo, seja visto como condição patológica que necessitam de tratamento – sim, eu acredito que uma bela cerveja funcione como um bom tratamento caseiro, nesses casos.”, completou Hacken e disse que tinha consciência que algumas pessoas esperavam meses até serem atendidas pela rede pública com problemas bem mais sérios que insônias.

Pode ser que ele realmente tenha exagerado ao declarar isso, mas cá pra nós, quem nunca visitou seu bar preferido ou abriu sua cerveja preferida para tentar abstrair os problemas da vida ou apenas para organizar os pensamentos?

Vamos ali abstrair os problemas, até mais!

Fonte:
Visite o Blog Lupulento e veja todo o conteúdo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *