Beba com responsabilidade!

Falar sobre responsabilidade (e moderação!) em relação a bebida é um assunto de notável importância. Os consumidores estão cada vez mais atentos aos impactos sociais e ambientais da fabricação dos produtos que compram. Fatores como as condições de trabalho dos funcionários, a quantidade de poluentes emitidos na sua produção, origem de seus componentes e seus efeitos à saúde, agora são levados mais a sério. Pensando nesse novo consumidor é que algumas cervejarias têm buscado certificações relacionadas a responsabilidade sócio-ambiental, como certificação de produto orgânico, por exemplo. É sobre isso que venho falar: cerveja orgânica.
Dados assustadores em relação a agrotóxicos nos alimentos são veiculados constantemente na mídia e nós, amantes de cerveja, não estamos imune a essa estatística. Dos ingredientes básicos da cerveja, o que mais sofre com aplicação de agrotóxicos e fertilizantes artificiais no seu cultivo é o lúpulo.

Agrotóxicos fazem mal a quem ingere, mas também fazem mal a quem maneja. A saúde dos trabalhadores que têm contato direto com agrotóxicos é muito prejudicada. Existem muitos casos de óbito, inclusive. Citei esses fatos para mostrar a importância da cultura orgânica, mas não vou me ater aos dados estarrecedores e sim a algumas cervejas que seguem esse padrão.

Aqui no Brasil, a primeira cervejaria a produzir cerveja orgânica, com certificação, foi a Eisenbahn, com a cerveja Eisenbahn Natural. Ela segue os padrões de certificação nacionais, segundo o IBD – Instituto Biodinâmico* – tendo no seu rótulo o símbolo referente a sua certificação (eisenbahn.com.br/cervejas/organica_certificado)

Temos também aqui no Brasil outra cerveja orgânica que caiu no gosto nacional: A inglesa Fuller’s Honey Dew. Como o próprio nome já remete, é uma English Pale Ale com adição de mel de abelha. É a cerveja orgânica mais vendida no Reino Unido.

Cerveja Orgânica Fuller's Honey Dew
Fuller’s Honey Dew

As duas citadas são de ótima “drinkability” (termo técnico sugerindo o quão fácil de beber é uma cerveja) e são boas cervejas pra quem tá iniciando a jornada cervejeira (veja o post Conhecendo novas cervejas: por onde começar?). Não são difíceis de achar em empórios, bares e até supermercados.

Nos EUA, há uma lei que obriga os produtores de cerveja orgânica a usarem lúpulos 100% orgânicos (antes havia uma tolerância de 5%). Elas tem até o fim deste ano para se adequarem à nova lei. Confirmando essa nova cultura de cervejas orgânicas existe um festival de cervejarias orgânicas, o North American Organic Brewers Festival – naobf.org – que já está na sua nona edição anual.

A preocupação com a saúde é um ótimo motivo para você preferir esse tipo de cerveja, mas, tirando um pouco do terror que eu possa ter causado, a cultura cervejeira de qualidade, em geral, não é uma cultura que pensa em lucros exorbitantes acima do bem estar do consumidor e dos colaboradores envolvidos. Por isso, se a cerveja que você comprou não tem um selo de produto orgânico, não se preocupe, pois #cervejadeverdade é feita com cuidado, tanto nos ingredientes quanto no que diz respeito ao bem estar dos funcionários. Até porque, muitas vezes, os próprios donos participam ativamente do processo produtivo.

* O IBD é o órgão que fiscaliza e certifica produtos orgânicos no Brasil de acordo com normas internacionais.

Visite o Blog Lupulento e veja todo o conteúdo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *