A cerveja salvou a civilização?

A proximidade entre pessoas e o aumento da população tornou grupos populacionais maiores. Esses agrupamentos humanos tiveram grande dificuldade para adquirir água potável. A solução ancestral que resolveu o problema da hidratação desses povos foi a cerveja.
 
O surgimento da cerveja foi a fórmula para o sucesso, permitindo o desenvolvimento do início da civilização como a conhecemos.

O fato é que essa bebida está presente há tempos e, mais do que isso, permitiu a sobrevivência de nossos ancestrais. Além de fonte de água, a cerveja era fonte de nutrientes, como no caso dos Sumérios*, que tinham a cerveja como sua fonte primária de nutrientes. O trigo e a cevada são boas fontes de nutrientes e, por consequência, produz alimentos e, também, bebidas de ótimo teor nutritivo e bem balanceadas.
Era o processo de fermentação da cerveja que matava os microrganismos nocivos e infecciosos presentes na água transformando, assim, uma água imprópria para o consumo em uma fonte segura de água e nutrientes, ademais, conferindo um ótimo sabor (Hoje, sabemos que a fervura do mosto também contribuiu para a morte dos microrganismos). A cerveja esteve presente na composição de remédios e, além disso, a primeira receita conhecida da história continha cerveja.
 
A cerveja salvou nossos ancestrais, hidratando-os de forma segura, e nutriu-os, justamente por ser um superalimento. Assim, a criação da cerveja foi decisiva, ao passo que auxiliou o crescimento das populações, e, por conseqüência,das cidades.
 
Mas, afinal, como surgiu a cerveja?
Há um consenso que diz que a cerveja não foi inventada pelo homem, e sim descoberta por acaso.  Ao que tudo indica, além de na Mesopotâmia (Oriente Médio), a cerveja também surgiu espontaneamente em outros lugares do planeta, como na América do Sul e no norte do México pré-Colombiano (sendo essas civilizações ocidentais que viveram isoladas até o século XV). 
E o surgimento deu-se a partir de grãos de cevada expostos a umidade, que, em contato com o ar, acabaram por fermentar. O líquido gerado possivelmente era turvo e encorpado e, foi bravamente consumido por alguém.
 
Bem após esse evento foi que a cerveja passou a ser produzida pelo homem.
 
Na Europa medieval, os monges** produziam cerveja e foram eles os responsáveis pela adição de lúpulo na composição dessa bebida. Nos mosteiros, a cerveja, além de produzida, foi aprimorada. Os lúpulos agregavam aroma e/ou amargor, além de preservarem o frescor das cervejas e de possuírem propriedades antissépticas.
 
O fato é que, desde os primórdios, a cerveja tem caráter democrático, sendo consumida tanto por escravos quanto por reis. E, hoje em dia, ainda vemos que a cerveja é consumida em todas as classes sociais, sendo de fato, a bebida mais democrática do mundo.

(*) Os Sumérios são considerados a civilização mais antiga da humanidade. Eles viviam ao sul da Mesopotâmia, próximo a terrenos férteis.
(**) É atribuído aos monges de San Gallo, na Suíça, o uso inicial do lúpulo.
 

Referências: a History of Beer and Brewing, vídeo a evolução através da cerveja e A história da cerveja 

Lara Lins é pós-graduada em Gastronomia e autora do blog gastroempatia.blogspot.com.br

Visite o Blog Lupulento e veja todo o conteúdo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *