Cerveja e chocolate combinam?

Já sabemos quão vasto é o mundo dos estilos cervejeiros e que essa variedade não para de crescer. As harmonizações enriquecem ainda mais esse universo, proporcionando novas experiências, e diante de tantas possibilidades, não poderia faltar a harmonização utilizando doces. E claro, quando o assunto é doce devemos lembrar que esta é uma das iguarias mais queridas: O chocolate. Apresentaremos a seguir a bela relação entre cervejas e chocolates.

E quem não gosta de um bom chocolate? Estes dois grandes prazeres da humanidade podem ser combinados podem muito bem serem harmonizados, até arrisco dizer, é uma associação adequadíssima. Ambos possuem características similares: torrefação, doçura, presença de fermentação, amargor e toques condimentados. Além disso, tanto as cervejas quanto os chocolates possuem grande diversidade de tipos, usos e derivações. O segredo é encontrar as combinações certas para que a degustação seja prazerosa.


Na produção do chocolate, os grãos de cacau passam pelo processo de fermentação. Além desse procedimento, essas sementes passam também pela torrefação. Muitas cervejas possuem sabores que evocam o chocolate (e também café) devido aos processos de torrefação e fermentação da cevada. E, quanto mais torrada for a cevada, mais escura será a cerveja.

Os estilos Stout, Porter e Schwartz apresentam como resultado da torrefação notas de aroma e sabor de defumado, tostado, café, toffee e chocolate. Já as Ales belgas trazem toques adocicados, que remetem a frutas e caramelo. As Lambics costumam ser ácidas e frutadas. Aromas condimentados e frutados também podem ser provenientes das leveduras existentes na produção das cervejas.

Dentro da gastronomia, a harmonização entre bebidas e comidas pode ser realizada por semelhança, contraste ou intensidade.  
No princípio da semelhança, a bebida deve se aproximar do alimento quanto aos aromas e sabores. Essa é a forma mais tradicional de harmonizar. Dentro da harmonização por semelhança, vemos combinações clássicas como a associação entre cervejas de alto teor de torrefação de seu malte e chocolates com mais que 60% de cacau em sua composição. Essa experiência mostra que a semelhança de aromas e sabores entre os dois produtos é saborosíssima e extremamente harmoniosa.

Chocolates amargos casam bem com cervejas do tipo Imperial Stout e com as Porters. A Double Chocolate Stout e a London Porter, além da Colorado Demoiselle e a Bamberg Schwarzbier são exemplos de cervejas que combinam bem com chocolates amargos. 

Outros tipos de cervejas e chocolates também podem ser harmonizados utilizando a regra da semelhança.
Chocolate meio amargo combina com as bebidas do estilo Dunkel, Schwarzbier, Dry Stout e Strong Ale escura.

Quando se trata de chocolate com amargor menos acentuado, como é o caso do chocolate ao leite, é possível conseguir um resultado harmônico com a Chocolate Stout, Dry Stout, Robust Porter e Dubbel.
 
Sem a presença da massa de cacau, o chocolate branco apresenta teor bem inferior no quesito amargor, podendo, assim aliar-se bem com Fruit lambics, Brown Ales, Strong Golden Ales e Strong Pale Ales.
Já no contraste, podem-se utilizar, por exemplo, chocolates mais doces como o chocolate branco ou a versão ao leite com cervejas mais lupuladas, que dão ênfase ao amargor. Cervejas ácidas também são uma boa pedida para contrastar com a doçura das iguarias escolhidas.
Por intensidade, quando mais rico e complexo for o chocolate, maior teor alcoólico, intensidade e complexidade de sabores a cerveja deve ter.
A uma boa maneira de apreciar esta combinação é iniciar provando o alimento, logo após experimentar em um ou dois goles o líquido e após ingerir, degustar novamente a comida.

Vale ressaltar que a carbonatação presente nas cervejas tem propriedade de limpar o paladar, em especial de alimentos gordurosos, como é o caso do chocolate.  
 


Independente da forma de harmonização, seja clássica ou inovadora, seguindo os princípios da semelhança, contraste ou intensidade, o interessante é mergulhar no mundo de possibilidades, experimentar as combinações e adquirir experiência. O importante é saber valorizar o seu gosto, buscando sempre maneiras de agradar seu próprio paladar.

As dicas de harmonização devem servir como ponto inicial, sendo bons referenciais para ajudar o apreciador de cervejas a começar a harmonizar, aprimorando e aprofundando sua relação com as cervejas e com o mundo da gastronomia.

Lara Lins é pós-graduada em Gastronomia e autora do blog gastroempatia.blogspot.com.br

Visite o Blog Lupulento e veja todo o conteúdo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *